Na Argentina, área acadêmica de Projetos da FUNIBER inicia suas atividades presenciais de 2018

Na Argentina, área acadêmica de Projetos da FUNIBER inicia suas atividades presenciais de 2018

Notícias

A área acadêmica de Projetos que promove a Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) inicia sua agenda de atividades presenciais para 2018 com sessões nas quais serão realizadas as oficinas, que tanto tiveram sucesso de participação nas últimas semanas de 2017 por toda a América Latina; Un acercamiento a la metodología Aprender Haciendo e Lineamientos metodológicos para la elaboración de un Trabajo Final, nos dias 28 de fevereiro e 1º de março, respectivamente. Ambas as oficinas vão acontecer no Hotel Premium Tower Suítes

A primeira destas formações, Un acercamiento a la metodología Aprender Haciendo, é uma aproximação à metodologia predominante nas instituições da rede universitária em que a FUNIBER colabora. A oficina é dirigida, especialmente, para aqueles alunos que estão estudando o Módulo de Desenho, o Projeto Empresarial e as Disciplinas Troncais.

Lineamientos metodológicos para la elaboración de un Trabajo Final é uma oficina destinada especificamente para aqueles estudantes que vão começar o Projeto Final ou estejam em suas fases iniciais, já que oferece as principais linhas de atuação para conseguir superar com sucesso essa última etapa.

Ambas as oficinas serão ministradas pelos professores Pablo Olinik e Carla Fava, ambos os membros da equipe de trabalho da área de Projetos e certificados em Competências Profissionais em Direção de Projetos IPMA (International Project Management Association) Nível D. Do mesmo modo, o professor Pablo Olinik está credenciado pela Associação Peruana de Direção de Projetos e a professora Carla Fabra, por sua vez, está pela Associação de Gestão de Projetos Argentina.

O atendimento às sessões em que as oficinas serão ministradas é completamente gratuito, mas é necessário confirmar a participação enviando um e-mail para argentina@funiber.org. Os estudantes que participam em alguma das formações, ou ambas, receberão um certificado de participação.

 

| , , , , , , , ,

Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária de FUNIBER

Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária

Funi-concursos, Publicaçao Solidaria 4

Ana Elisa Martínez é estudante guatemalteca, bolsista pela FUNIBER, ela cursou a Especialização em Habilidades Diretivas e atualmente está cursando o Mestrado em Resolução de Conflitos e Mediação, ambas as formações com titulação pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO). Ana Elisa fou terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária.

Ana Elisa chegou perto dos dois primeiros prêmios com seu emocionante texto La vida puede ser bella, que falava da atividade da ONG Asociação La Alianza, que ajuda a jovens e crianças vítimas de abusos e maus tratos, sejam físicos ou emocionais.

Conversamos com a finalista da IV Publicação Solidária para saber como foi a sua experiência no concurso.

Como conheceu o concurso?

Eu vi um anúncio no portal da FUNIBER.

Por que você decidiu participar do concurso?

Para poder ajudar os menores da Guatemala, tornando público o trabalho realizado pela Associação La Alianza.

Como você promoveu seu texto nas semifinais e na final?

Por meio das redes sociais, também procurei o apoio de amigas e familiares, claro.

O que destacaria do concurso?

A oportunidade de apoiar a ONG e tornar público o trabalho realizado para ajudar pessoas desfavorecidas.

Como você avalia sua experiência participando do IV Concurso Publicação Solidária?

Muito positivamente, já que me permitiu divulgar a ONG que eu gostaria de apoiar.

Você acha que participará de próximos concursos?

Possivelmente eu voltaria a participar de algum concurso, mas depende do tipo de concurso e do que terei que fazer. Quando se tratava de apenas conseguir votos, já era uma dinâmica complexa e competitiva em algo, assim, não voltaria a participar.

Como soube das atividades da ONG Associação La Alianza? Por que você decidiu envolver-se nelas?

Faz mais de um ano que colaboro com a Associação La Alianza da Guatemala como voluntária. Comecei porque me pareceu um trabalho maravilhoso o que realizavam menores que tinham sido vítimas de abuso sexual.

A ONG trabalha em quatro frentes que têm relação entre eles; proteção, prevenção, apoio e acompanhamento legal e incidência. Tudo isso para poder oferecer aos menores um melhor desenvolvimento e garantir seu bem-estar, para conseguir a melhor transição possível à vida adulta.

Como você avalia ter podido divulgar as atividades da ONG Associação La Alianza?

É algo muito especial ter podido divulgar suas atividades, pois talvez assim possamos ajudar a alguém que não sabia da existência da Associação. Espero que lhes tenha podido fazer chegar um pouco de esperança. Também é importante o mero trabalho informativo para chegar a quem não tem sofrido este problema, pois é importante sensibilizar à população geral.

Algum comentário ou mensagem para suas colegas da fase final e para a comunidade da FUNIBER?

Quero agradecer à FUNIBER esta oportunidade de fazer algo tão bom. Quero parabenizar às finalistas e semifinalistas pelo maravilhoso trabalho social que elas realizam.

Links relacionados:

| , , , , , , , ,

Opiniões FUNIBER: Gonzalo Mata, aluno mexicano de Mestrado bolsista pela FUNIBER: “O apoio da Fundação tem sido providencial”.

Opiniões FUNIBER: Gonzalo Mata, aluno mexicano bolsista pela FUNIBER: “O apoio da Fundação tem sido providencial”.

Opiniões dos alunos

Gonzalo Mata é um estudante mexicano que está finalizando o Projeto Final do Mestrado em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento, com titulação pela Universidad Internacional Iberoamericana (UNINI-México). Gonzalo nos chamou a atenção, entre outras questões, porque acumulou 40 anos de experiência como professor na Universidad Autónoma de San Luis Potosí (UASLP).

Para ele, o apoio recebido da equipe da FUNIBER foi decisivo para poder completar com sucesso as disciplinas do Mestrado. Afirma que a única desvantagem é não poder agradecer pessoalmente por toda a ajuda recebida.

Como soube da FUNIBER e da atividade da fundação?

Eu estava simplesmente procurando por mestrados e outros programas de pós-graduação e encontrei informações sobre a FUNIBER e boas referências.

O que fez você decidir pela FUNIBER?

O tratamento gentil da equipe quando falei com eles pela primeira vez e as facilidades para poder estudar. Naquela época eu estava em uma situação difícil no local de trabalho e na família, de modo que as facilidades oferecidas me fizeram decidir pela FUNIBER.

Você se sentiu apoiado e recebeu suporte em seus estudos?

Sim, de fato, posso afirmar que esse suporte tem sido um elemento decisivo para que eu possa terminar o mestrado. Todos os funcionários da FUNIBER, tanto administrativo quanto docente, me ajudaram muito, com muita gentileza, e sempre ofereceram muito encorajamento.

Como está sendo sua experiência com a fundação?

Como já apontei, a minha experiência pessoal com a Fundação está sendo maravilhosa, teria sido difícil para mim chegar a esta fase dos meus estudos sem o seu apoio. Academicamente falando, a verdade é que estudar a distância exige disciplina, e isso ajudou a desenvolver-me com mais segurança como professor da UASLP.

Quais são as vantagens e desvantagens deste sistema?

Eu acredito que estudar a distância tem muitas vantagens; por exemplo, é mais barato do que a educação convencional, posso adaptar os estudos aos meus horários e trabalhar em casa. Além disso, como eu disse, a equipe é muito atenciosa.

A verdade é que não encontrei nenhum problema em estudar a distância. Apenas lamento não ter tido a possibilidade de conhecer os membros da FUNIBER, que me ajudaram muito e poder agradecer-lhes pessoalmente por todo esse apoio.

Você acha mais difícil terminar seus estudos?

Nada é fácil na vida, mas com um pouco de sacrifício eu pude chegar até aqui. Eu queria completar meu sono, sacrifícios tão pequenos como trabalhar até tarde por várias noites e até passar fome para não dormir durante o estudo não envolviam grandes esforços.

O curso e os professores cumpriram com as suas expectativas?

Sim, esta formação acadêmica que estou recebendo está me permitindo atualizar muitos conteúdos e ser melhor no meu dia-a-dia na UASLP.

O que você destacaria sobre a sua experiência cursando os estudos patrocinados pela FUNIBER?

Que esses estudos e o patrocínio da FUNIBER estão permitindo minha superação na área acadêmica, pessoal e profissional, e cumprir um sonho que, de outra forma, não poderia ter sido alcançado.

Você pôde aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER?

Sim, acredito que sou um professor melhor e mais capacitado para ajudar os alunos. Além disso, esse mestrado permitiu familiarizar-me com ferramentas tecnológicas que não usava antes.

Você espera que o Mestrado em Recursos Humanos e Gestão de Conhecimento promovido pela FUNIBER lhe abra novos horizontes profissionais? Quais?

Sim, por agora vou participar no desenvolvimento de programas e disciplinas que serão estudadas a distância na UASLP para promover a formação contínua entre os estudantes universitários.

Porque você decidiu, após 38 anos como professor universitário, cursar este Mestrado em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento?

Bem, a verdade é que eu decidi aposentar-me então, com 74 anos e 38 deles como professor, mas então pensei que não estava com pressa, e que, enquanto estava em boa saúde, queria continuar ensinando. É por isso que cursei o Mestrado, isso me permite ser melhor no meu trabalho. E recentemente o Reitor da UASL me deu a medalha “Rafael Nieto Campean” pelos 40 anos de serviço de ensino na instituição.

Você recomendaria os programas patrocinados pela FUNIBER para algum amigo ou familiar estudar?

Sim, claro, eu já recomendo isso para várias pessoas e acredito que algumas delas já se inscreveram.

| , , , , , , , , , , , , , , ,