Opinião de Fabiana Buquete, aluna bolsista do Mestrado em Atividade Física

Opinião de Fabiana Buquete, aluna bolsista do Mestrado em Atividade Física

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

Fabiana Buquete é uma estudante argentina que recentemente finalizou o Mestrado em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva em um regime de dupla graduação pela Universidad Internacional Iberoamericana (UNINI) e pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO) bolsista pela FUNIBER. Fabiana foi vice-campeã sul-americana de patinação artística no Campeonato Sul-Americano de Patinação Artística em Santiago do Chile, em 2013, e tem ampla formação e experiência no mundo do esporte e da atividade física.

Como você soube da FUNIBER e da atividade da fundação?

Minha irmã, a graduada Alejandra Buquete, estudou na FUNIBER. Ela cursou o Mestrado em Direção Estratégica em Engenharia de Software e seu filho, meu sobrinho, o engenheiro Sebastián Orlando, também fez um Mestrado em Energias Renováveis. Ambos me recomendaram a FUNIBER para realizar meus estudos de pós-graduação devido à sua alta qualidade acadêmica.

Porque você escolheu estudar com a FUNIBER?

Após uma busca contínua por aperfeiçoamento profissional, apaixonada pela minha tarefa docente e na tentativa de enfrentar novos desafios que me permitissem continuar crescendo para alcançar a excelência, decidi estudar em uma fundação de prestígio internacional como a FUNIBER para poder oferecer o melhor de mim para meus alunos.

Eu não possuía todos os recursos financeiros e a FUNIBER me concedeu uma bolsa para que eu pudesse fazer o curso.

Como foi sua experiência com a fundação? Você se sentiu apoiada e respaldada em seus estudos?

Se eu tiver que avaliar, a resposta é excelente. Sempre surgem dúvidas e perguntas durante o curso. Para cada pergunta, obtive uma resposta. Na área técnica da FUNIBER também fui corretamente atendida, sempre com muita atenção.

Em relação ao meu orientador, sempre obtive retornos valiosos que foram aperfeiçoando o conteúdo do meu projeto.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais são as vantagens e as desvantagens deste sistema? Foi difícil terminar seus estudos?

Como as pessoas atualmente trabalham várias horas por dia, incluindo, muitas vezes, os finais de semana, estudar a distância torna-se uma ferramenta imprescindível para continuar a se capacitar e a ampliar o conhecimento.

Não foi difícil para mim finalizar os estudos. Muito pelo contrário, paralelamente utilizei os avanços da minha dissertação para realizar publicações na minha área profissional.

Sua formação e seus professores atenderam às suas expectativas?

Não só atendeu às minhas expectativas, como também as superou. O programa de estudos do Mestrado realmente serviu de elo entre a minha formação anterior e a profissional que sou hoje.

O que você destacaria com relação à sua experiência de estudar com o patrocínio da FUNIBER?

O material de estudo, que é muito completo e altamente explícito. Eu tenho a versão impressa, que foi enviada diretamente da Espanha, e que eu continuo consultando quando preciso realizar um projeto de pesquisa.

Você conseguiu aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER?

Absolutamente tudo o que eu aprendi foi aplicado no desempenho de minha função como docente e auxiliar profissional das forças de segurança: Polícia Federal Argentina, Ministério da Segurança da Nação, Polícia da Cidade de Buenos Aires.

Sem dúvida alguma, consegui me desenvolver de maneira mais eficaz, alcançando a excelência em minha área de atuação.

Quais horizontes podem ser abertos para você com a formação obtida com a FUNIBER?

Acredito que alcancei meus objetivos. Fui mais longe do que eu esperava, mas tenho mais ambições e pretendo continuar me capacitando em um doutorado com a FUNIBER.

Em sua dissertação de Mestrado, você fez um estudo sobre o treinamento físico dos cadetes da Polícia Federal Argentina (PFA). Quais são as suas conclusões sobre isso? Como esse treinamento pode ser melhorado ou otimizado?

Durante o mestrado, submeti os avanços de meu projeto final à avaliação de um processo de seleção realizado pelo Instituto Universitário da Polícia Federal da Argentina (IUPFA) e o resumo foi selecionado entre vários outros por se tratar de um tema inovador:

“Treinamento Físico para o Desenvolvimento da Tomada de Decisões da Polícia”. IUPFA. 2015.  Ele também foi publicado na Revista Minerva da Secretaria de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto Universitário da Polícia Federal Argentina dentro do tema Profissionalização da Forças Policiais e de Segurança.

Durante o ano de 2017, devido à temática que utilizei na dissertação, fui chamada para ser Professora Especialista em Educação Física Policial do Ciclo de Nivelamento Pedagógico 2017, pela Direção Nacional de Capacitação e Formação Provincial e Municipal, subordinada à Subsecretaria de Capacitação, Formação e Programas de Segurança do Ministério da Segurança, Presidência da República.

Nesse momento, estou capacitando os professores e os policiais de todas as Províncias da República Argentina no que diz respeito à Educação Física Policial e à importância do treinamento físico para o desenvolvimento da tomada de decisões dos policiais.

Capacitadora nas Jornadas Federais de Nivelamento em Educação Física Policial para os Professores dos Institutos de Formação Policial das jurisdições e da Cidade Autônoma de Buenos Aires. Responsável pela Subsecretaria de Capacitação, Formação e Programas de Segurança da Secretaria de Segurança Interna do Ministério da Segurança, função desempenhada no Centro Nacional de Alto Rendimento Esportivo (CeNARD) da Cidade Autônoma de Buenos Aires, durante os dias 21 e 22 de novembro de 2017.

Capacitadora no Ciclo de Nivelamento Pedagógico 2017 da Jornada de Capacitação “Avaliação por Competências e Formação Permanente” para os Institutos de Formação Policial das 24 jurisdições argentinas, a cargo da Subsecretaria de Capacitação, Formação e Programas de Segurança da Secretaria de Segurança Interna do Ministério da Segurança, realizada na Província de Buenos Aires, Escola Juan Vucetich, entre os dias 26 e 27 de setembro de 2017.

Capacitadora no Ciclo de Nivelamento Pedagógico 2017 da Jornada de Capacitação “Avaliação por Competências e Formação Permanente” para os Institutos de Formação Policial das 24 jurisdições de nosso País, a cargo da Subsecretaria de Capacitação, Formação e Programas de Segurança da Secretaria de Segurança Interna do Ministério da Segurança, realizada na província de San Juan, nos dias 18, 19 e 20 de setembro.

Um Manual de Educação Física Policial, que contém grande parte da minha dissertação do mestrado realizado com a FUNIBER, foi elaborado juntamente com uma grande equipe de profissionais:

“Manual de Educación Física Policial”. Colección Manuales para la Formación de Formadores. Secretaría de Seguridad Interior. Subsecretaría de Capacitación, Formación y Programas de Seguridad de la Nación. Ministerio de Seguridad. Presidencia de la Nación. 2017.

Atualmente, com a Subsecretaria de Capacitação, Formação e Programas de Segurança da Nação com a colaboração do Laboratório de Biomecânica Esportiva do CeNARD, realizamos uma pesquisa científica intitulada “Biomecânica do gesto ao sacar uma arma de fogo” que será publicada em breve pelo Ministério da Segurança. Devo dizer que não conseguiria concluir este estudo de doutorado, sem ter os conhecimentos que o Mestrado me proporcionou.

Acredito que a inovação no desenvolvimento científico do treinamento para as forças de segurança que começamos a implementar pela primeira vez em nosso país nos levará a desenvolver práticas profissionais de excelência para nossos policiais.

Você recomendaria a um amigo ou parente realizar seus estudos com a FUNIBER?

Claro que eu recomendaria e já recomendei a colegas que, inclusive, hoje estão finalizando seus estudos na FUNIBER da mesma maneira que minha família fez comigo. Eu sou muito grata a eles.

O mestrado desenvolveu em mim aspectos de gestão que eu pensava desconhecer e que, na verdade, estavam dentro de mim, prontos para serem explorados!

| , , , , , , ,

Opinião de Walter Tapia, aluno bolsista do Mestrado em Gestão Estratégica

Opinião de Walter Tapia, aluno bolsista do Mestrado em Gestão Estratégica

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

Walter Tapia é um aluno natural do Peru, atua hoje em dia como gerente da empresa de cosméticos Unique S.A. e possui experiência em cargos altos na padaria Bimbo. Foi aluno bolsista pela FUNIBER, do curso de Mestrado em Direção Estratégica pela Universidade Científica do Sul e considera essencial estar continuamente se aperfeiçoando para obter êxito em um mundo tão competitivo como este.

Como ficou sabendo da FUNIBER e das atividades da Fundação?

Eu conheci a FUNIBER por meio de um amigo em 2005, que também estava interessado em fazer um Mestrado on-line. Neste momento eu estava cursando um Mestrado aqui no Peru em tempo parcial, porém no final daquele ano me ofereceram um trabalho na Argentina na BIMBO como diretor comercial da América Latina, por isso fui em busca de outras opções para seguir estudando. Eu visitei a FUNIBER no PERU, vi os projetos e treinamentos patrocinados pela fundação e o Mestrado em Gestão Estratégica me chamou a atenção, e como eu viajava muito, foi bom fazê-lo virtualmente.

O que fez você optar pelos cursos patrocinados pela FUNIBER?

Quando alguém busca informações sobre os cursos, sempre considera os prós e os contras. Quando me deparei com o dilema de ir à Argentina para um trabalho melhor ou permanecer no Peru onde estava estudando, me pareceu uma excelente opção ir para esse trabalho melhor mas seguir estudando online, já que estava muito interessado. Dos estudos, gostei do programa de estudos, dos cursos e da forma de conduzi-los. Era notável a boa estrutura do Mestrado.

Como foi a sua experiência com a fundação? Sentiu-se ajudado e apoiado em seus estudos?

Foi muito interessante, era algo novo para mim, não havia estudado nenhum programa longo de forma virtual até aquele momento e me senti muito apoiado pela FUNIBER e pela diretoria da sede do Peru até então. Foi importante esse apoio, sobretudo quando havia algum problema técnico. Além disso, a FUNIBER do Peru, me enviava todos os materiais fisicamente até a Argentina, não precisei nem me registrar na sede da FUNIBER na Argentina. O certo é que a experiência global foi menos complexa do que eu pensava e muito mais ágil.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais as vantagens e os desvantagens deste sistema? Foi difícil combinar os estudos com a sua vida profissional?

Eu viajava muito, mas sempre tentava me manter conectado, onde estivesse. Sempre que parava em um hotel e tinha um tempo, fazia algum trabalho para meus estudos. Assim cumpri com o programa em dois anos e pude fazer minha tese.

Sobre ser difícil, a verdade é que disciplina. Todos os estudos que alguém inicia juntamente com o trabalho são difíceis, mas é uma questão de prioridade e se os estudos são uma, sempre há tempo. Para mim, continuar estudando é parte fundamental da minha vida, nunca deixo de me preparar porque o mundo é muito competitivo, hoje em dia continuo me aperfeiçoando. E, como dizia minha mãe, o saber não ocupa espaço.

O que mais senti falta em relação a educação convencional, foi talvez o contato direto com as pessoas, que é sempre importante. Mas, por outro lado, me pareceu uma grande qualidade poder fazer contato com pessoas do mundo todo, que de outra forma custaria bem mais.

O curso e os professores cumpriram com as suas expectativas?

Sim, eu acredito que elas cumpriram com louvor, embora esse tema sempre dependa muito de si mesmo. No caso do ensino on-line sempre depende muito mais do que se faz, embora agora seja menos individual que antes, talvez tenha fortalecido mais o vínculo entre aluno e estudante.

Eu precisava de mais contato com o pessoal administrativo do centro do que com os professores, principalmente para dúvidas técnicas. Embora em certas ocasiões, em algum curso que não ia tão bem, senti falta de um contato mais direto e contínuo com o professor. Não tanto na questão qualitativa, já que isso sempre foi excelente, mas na questão quantitativa, mais contínua.

O que você destacaria até a data de sua experiência cursando os estudos patrocinado pela FUNIBER?

O que mais ressalto na minha formação é que o mestrado foi muito bem projetado e estruturado, com muito equilíbrio entre teoria e prática, material agradável e interessante. Também fiquei grato por ter os materiais em formato físico e também on-line. Gostei muito, era um material interessante e necessário dedicar um certo tempo.

Gosto do conceito da FUNIBER, já que facilita o acesso a uma educação superior para muitas pessoas que por limitações de tempo, dinheiro ou de outra maneira, não poderiam jamais cursar essas formações.

Você está podendo aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER na sua vida profissional?

Sim, definitivamente, sim. Tudo é aplicável hoje em dia, o mundo atualmente é muito colaborativo e é necessário se especializar e crescer profissionalmente a todo momento, especialmente quando já não é tão jovem. Todo material que alguém estuda é relevante e contribui com algo. E um mestrado assim te fornece muito a nível estratégico e te orienta para tomada de decisões na vida profissional.

Você apresentou uma proposta de tese sobre treinamento em vendas na sua empresa, qual era o objetivo inicial do seu projeto?

Uma das minhas principais preocupações era que não existe uma escola profissional de vendas em toda a América Latina, um centro educativo que forme vendedores. Existem centros para outros campos como o marketing, mas não em vendas, na Espanha estão tentando fazer algo neste sentido, mas não na América Latina, e isso faz com que vendas seja um setor pouco profissionalizado, é algo visto como último recurso ou algo para se dedicar se você não sabe o que fazer.

Os gerentes de vendas ou comerciais têm outras formações. Não busco formar gerentes, já que essas aptidões podem ser aprendidas em outras áreas, mas busco treinamento de vendedores profissionais. Surpreende que os departamentos de vendas sejam algo tão importante em uma empresa e ainda siga sem um setor profissionalizado. Um vendedor deve ter certas capacidades para aumentar os resultados, tanto a nível social como profissional; podem ser desenvolvidas uma infinidade de habilidades como a psicologia ou a técnica de vendas, o trabalho de vendedor é mais complexo do que se pensa.

Você está planejando aplicar o programa de treinamentos adicionais para as assessoras comerciais independentes da Unique S.A?

Sim, é necessário adaptar suas possibilidades econômicas e horárias. Mas tentamos treinar vendedores todo dia, não mais do que duas horas depois da jornada de trabalho, e mais um pouco no sábado, durante um período de no máximo oito meses. É um treinamento que tentamos que seja flexível e se adapte ao trabalho do vendedor, que é volátil e pode mudar, já que costumas ter ciclos de vendas de quatro semanas. Buscamos treinar vendedores profissionais no aspecto técnico, mas também no aspecto humano e social.

Por que acredita-se que as jovens eram as que apresentavam menos capacitação?

Geralmente os vendedores mais jovens supõem que a parte prática se aprende no dia a dia e não necessitam de mais técnicas de abordagem, venda de produto ou captação de clientes, e não entendem que é necessário o estudo para se profissionalizar. Normalmente os vendedores entendem isso mais tarde, já que a princípio pensam que com o impulso, a força e o carisma da juventude vão conquistar o mundo. Mas é necessário algo a mais. O que estamos tentando fazer é treiná-los desde o começo para que possam crescer mais cedo e melhores.

Você recomendaria para algum amigo ou familiar, estudar por intermédio da FUNIBER?

Sim, é claro, nem todo mundo tem a oportunidade de estudar presencialmente. O mundo de hoje é muito competitivo, com traslados, viagens constantes e pouco tempo, e o tempo vale ouro, então a oportunidade de ter todo conhecimento na internet te permite investir seu tempo livre, no seu ritmo, para estudar sem precisar se deslocar, nem estar em um site em um horário determinado ao longo do dia, ou metade do dia, ou algumas horas, é uma oportunidade que precisa ser aproveitada.

Acredito que o modelo on-line tem muito futuro; a prova é que Harvard, líder mundial em mestrados, também dará início neste tipo de estudo. A FUNIBER cumpre aqui um grande papel, facilitando o acesso com a rede universitária a que pertence e seus programas de bolsas, para titulações superiores às pessoas que não poderiam estudar de outra maneira.

| , , , , , , , , , ,

Área acadêmica de Projetos prepara um fim de outono com muitas atividades

Área acadêmica de Projetos prepara um fim de outono com muitas atividades

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

A área acadêmica de projetos que a FUNIBER promove preparou uma reta final de outono cheia de atividades presenciais que serão realizadas em diferentes países da América Latina.

Trata-se de um ciclo de oficinas e conferências que tiveram início no dia 14 de novembro às 18h no Hotel Crowne Plaza Miraflores de Lima, no Peru, com a conferência sobre o desenvolvimento e a gestão de projetos “Metodologias de ensino na formulação de projetos”, ministrada pelo professor Santiago Brie.

O próprio Brie, no dia seguinte, dirigirá duas oficinas na sede da FUNIBER no Peru. A primeira oficina, intitulada “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»”, terá início às 14h e será uma aproximação à metodologia de aprendizagem predominante nos estudos patrocinados pela FUNIBER. Já a segunda terá início às 16h, e será intitulada: “Esboços metodológicos para a elaboração de um trabalho final”, tem o objetivo de familiarizar os alunos com diferentes metodologias para enfrentar a realização de uma tese final de estudos. Ambas as oficinas serão ministradas em diversos países ao longo das seguintes semanas e o próprio professor Santiago Brie irá ministrar no dia 16 de novembro na sede da FUNIBER em Guayaquil (Equador) às 16h e às 18h, respectivamente. “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” voltará a ser realizada na sexta-feira 18 de novembro, às 10h da manhã no Hotel Sebastián da Quito, na capital equatoriana.

Os seguintes eventos serão realizados no Auditório Gaudí Ocidente da Câmara de Comércio Hispano-Colombiana de Bogotá (Colômbia), em que no dia 20 de novembro, às 18h, o professor Santiago Brie vai ministrar a conferência “O processo acadêmico na formulação de projetos” e, ato seguido, será o turno do Nelson Yepes com sua conferência “Modelos de projetos relacionados ao desenvolvimento econômico”.

Na terça-feira, 21 de novembro, na mesma Câmara de comércio Hispano-Colombiana, Santiago Brie voltará a ministrar as oficinas “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final” às 14h e às 16h, respectivamente.

As atividades da área acadêmica de Projetos irão fechar o mês de novembro e terão início em dezembro no  Hotel Los Tajibos de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. O professor Roberto Prudencio será o responsável de ministrar a Oficina Módulo de Projeto “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»”, na quinta-feira 30 de novembro, às 19h, Roberto Alvarez irá ministrar a Oficina de Tese “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final”, no dia 1º de dezembro às 19h.

As atividades programadas pela área de Projetos terão uma pausa e serão retomadas as atividades no dia 11 de dezembro na sede da FUNIBER, na Cidade do México, onde os professores Santiago Brie e Roberto Alvarez irão realizar as oficinas “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e “Esboços Metodológicos para a elaboração de Trabalho Final” às 10h e às 12h30, respectivamente.

O último dia de atividades preparadas pela área de Projetos será a sexta-feira, dia 15 de dezembro, sendo realizadas atividades na Argentina e no Uruguai.

Por um lado, no Hotel Savoy de Buenos Aires, Santiago Brie dirigirá a 4° Ronda de Certificação Internacional de Competências IPMA  Nível D às 9h; já às 14h, Mariela Rodríguez irá ministrar a oficina “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e às 16h Alberto Vera fará o mesmo com a oficina “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final”.

Já na Câmara Oficial Espanhola de Comércio, Indústria e Navegação do Uruguai, em Montevidéu, os eventos estão programados de maneira similar com Pablo Urquizó responsável pela 4° Ronda de Certificação Internacional de Competências IPMA Nível D, às 9h a da Oficina de Tese, e às 16h com Madalena Penha e Fabrizio da Paula dirigindo a oficina “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” às 14 horas.

Você pode consultar o programa completo aqui

| , , , , , , ,