Opinião de Sadia Martínez, "O programa permitiu com que eu melhorasse profissionalmente"

Opinião de Sadia Martínez, “O programa permitiu com que eu melhorasse profissionalmente”

Opiniões dos alunos

Sadia Karina Martínez Rodríguez é uma aluna de Santa Ana, no departamento hondurenho de Francisco Morazán. Sadia cursou, patrocinada pela FUNIBER, o Master Internacional em Administração e Direção de Empresas (MBA), terminando muito contente com a aprendizagem experimentada, com o apoio recebido por parte da FUNIBER e com as possibilidades laborais abertas perante ela.

Como soube da FUNIBER e da atividade da Fundação?

Tive conhecimento da FUNIBER através da colaboração acadêmica entre a Universidad Nacional Autónoma de Honduras (UNAH) e a Fundação, sendo que decidi entrar em contato com a FUNIBER e solicitar maior informação dos programas que patrocinam.

O que lhe fez decidir pela FUNIBER?

Ao analisar o programa de estudos do Master, observei que cumpria com as expectativas que tinha e me permitia ampliar os conhecimentos obtidos na graduação. Também considerei a qualidade do programa e a flexibilidade de estudar on-line.

Como foi sua experiência com a Fundação? Sentiu-se apoiada e respaldada em seus estudos?

A experiência foi excelente e ultrapassou minhas expectativas. Os docentes do Master e os funcionários da FUNIBER concederam respaldo e apoio em todo momento.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais vantagens e inconvenientes tem este sistema? Foi duro poder finalizar seus estudos?

Tinha a dúvida do grau de dificuldade de cursar um mestrado na modalidade virtual. No entanto, foi de grande ajuda para melhorar minha disciplina e compromisso e assim poder cumprir com a duração do programa. A principal vantagem é a flexibilidade de horário, mas isso implica que os alunos devem ter uma maior disciplina e organização.

A formação cursada e seu professorado cumpriram com suas expectativas?

Sim, o programa permitiu com que eu melhorasse profissionalmente e os professores sempre demonstraram seu compromisso me apoiando, para que eu pudesse finalizar meus estudos com êxito.

O que você destacaria de sua experiência cursando os estudos patrocinados pela FUNIBER?

A flexibilidade dos estudos, que me permitiu estudar em meu tempo livre e cumprir com o sonho de obter o título de mestrado.

Você pode aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER?

Sim, pude aplica-los imediatamente. A formação foi muito útil para melhorar meu desempenho profissional.

Você espera que a formação obtida por meio da FUNIBER lhe abra novos horizontes profissionais? Quais?

Ao começar o Master, já pude melhorar minhas condições laborais dentro da mesma instituição, em um cargo com maior responsabilidade e melhor status. Também espero que com a culminação desta formação possam ser abertas portas na docência e compartilhar meus conhecimentos para a formação de novos profissionais.

Você recomendaria para algum amigo ou familiar estudar os programas patrocinados pela FUNIBER?

Sim, desde que conheci sobre estes programas os recomendei a companheiros de trabalho. Na atualidade, vários amigos estão cursando seus estudos de mestrado por meio da Fundação.

Como você avalia poder receber os conteúdos da formação em formato físico, além de podê-los consultar on-line? Foram úteis os materiais impressos?

Ter os conteúdos impressos me resultou de muita ajuda, pois trabalhar com o computador todo o dia é cansativo para a vista, por isso facilitaria muito poder ler os livros, fazer e tomar notas.

Foi uma vantagem a FUNIBER ter uma sede física em seu país?

Sim, proporcionou confiança e também facilitou as gestões na obtenção de alguns documentos acadêmicos.

 

| , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A educação on-line continua a crescer

A educação on-line continua a crescer

Notícias

Os estudos on-line são uma opção de formação da qual cada vez mais estudantes recorrem. Essa dinâmica de crescimento por parte dos estudos não presenciais só se fortaleceu nos últimos anos, em especial entre os maiores de 25 anos. Este crescimento confirma os benefícios de um sistema de ensino que nasceu despertando dúvidas, mas que cada vez mais é popular.

O exemplo dos Estados Unidos

Trata-se do país no qual a aprendizagem on-line está mais desenvolvida. Não é à toa que é o país de nascimento de projetos como o Master Class, e o que geralmente aponta as futuras tendências na matéria, tanto em novidades como em crescimento percentual. Recentemente, algumas das instituições mais importantes em matéria de educação virtual elaboraram um estudo no qual analisam o estado das graduações on-line no pais, chamado Grade increase. Tracking distance education in the United States, o qual possuiu resultados relevadores: com dados de 2016, o número de estudantes das graduações on-line cresceu durante 14 anos seguidos, sendo acentuado nos últimos anos, superando 5%.

Atualmente, praticamente um terço dos estudantes universitários do país (31,6%) estudam a distância, seja exclusivamente ou alternando os estudos virtuais com outros presenciais, o que demonstra o que provavelmente seja a grande vantagem dos cursos não presenciais: sua flexibilidade.

O caso da Espanha

Os números não se aproximam dos percentuais apresentados no caso norte-americano, mas mostram a mesma tendência que os Estados Unidos vêm acompanhando há anos: um crescimento ostensivo e consistente. O Ministério da Educação espanhol publicou recentemente seu relatório de dados sobre a educação espanhola, sendo as estatísticas do período acadêmico 2015-2016 as mais recentes, que mostram que o número de universidades on-line que neste período ofereceram graduações na Espanha era de 25, enquanto que dez anos atrás era apenas de 2.

A porcentagem de matriculados em cursos superiores on-line na Espanha já chega a 15% de todos os estudantes universitários, sendo que no biênio 2005/2006 nem sequer eram um dado suficientemente significativo para que fosse considerado pelo Ministério. Neste ano acadêmico de 2015-2016, de acordo com o portal El Economista, a demanda de mestrados on-line na Espanha cresceu 300%, e os cursos on-line ofertados pelas universidades do mesmo país cresceram 17% de acordo com o relatório “Universitic 2017: análisis de las TIC en las Universidades Españolas”.

A educação virtual na América Latina

Um relatório publicado nas jornadas Virtual Educa aponta um crescimento de mais de 6% da educação on-line em toda a América Latina no ano de 2016, com algumas regiões apresentando um crescimento de até 30% em um ano, sendo estes dados muito superiores às taxas de expansão registadas na educação presencial.

Os dados de crescimento da região dão a entender que a margem de crescimento segue sendo grande, o que nos faz pensar que a educação on-line possui um futuro brilhante na América Latina, particularmente em países como o Peru, nação com uma notável quantidade de centros oferecendo graduações a distância, mas onde que apenas 7% dos estudantes universitários cursam graduações virtuais.

Outro dado do otimismo apontado no relatório é a aposta de países como o Brasil, México, Colômbia e Cuba na promoção dos cursos virtuais entre os membros de seus setores públicos.

O exemplo da FUNIBER

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) é consciente das vantagens e oportunidades oferecidas pela educação on-line e por isso há anos patrocina programas de mestrado, especializações e doutorados que oferecem conteúdos atualizados e que são reconhecidos por universidades com as quais a Fundação possui convênio de colaboração. Da mesma forma, a FUNIBER procura contribuir para a expansão da educação à distância e facilitar o acesso a programas que patrocine a todos os níveis da sociedade, por meio de acordos estratégicos de colaboração com instituições públicas e privadas de diferentes setores.

Uma amostra da alta qualidade dos programas que podem ser cursados virtualmente pode ser vista nos testemunhos dos alunos de mestrado e doutorado que a FUNIBER patrocina. Os estudantes muitas vezes destacam a qualidade dos conteúdos e o quão atualizados estão estes, além do apoio recebido por parte dos profissionais da Fundação.

| , , , , , , , , , , , , , ,

O que fazer para estudar de forma mais eficiente?

O que fazer para estudar de forma mais eficiente?

Notícias, Opiniões dos alunos, Perguntas frequentes

Todo mundo que já foi estudante viu-se forçado alguma vez a memorizar grandes quantidades de texto em pouco tempo ou abusou do café ou das bebidas energéticas para dormir mais tarde e sacrificar horas de sono em benefício do estudo. Esses problemas que já afetam aqueles que são estudantes em tempo integral podem piorar deliberadamente no caso de estudos realizados a distância, que deve ser combinado com outra ocupação e a qual só podemos dedicar algum tempo do nosso tempo livre. Este é o caso de muitos estudantes que cursam formações por meio da rede universitária com a qual a Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) colabora. Por esse motivo, você pode encontrar a seguir uma pequena lista de dicas para ser mais eficiente e otimizar o tempo de estudo.

A importância das horas de sono.

De acordo com vários estudos, dormir é muito benéfico pois favorece a consolidação da memória, do crescimento e a aprendizagem. Mas não é necessário exagerar; 7 horas de sono são necessárias para tirar o máximo proveito do tempo estudado e obter as melhores notas possíveis, de acordo com um estudo do Universidade Brigham Young, publicado em The Eastern Economic Journal. Não é, portanto, aconselhável sacrificar horas de sono ou abusar do café na noite anterior a uma prova ou exame.

É bom testar-se com frequência.

A revista Science publicou há um tempo um estudo em que a realização de exames e testes para avaliar o que foi aprendido poderia aumentar o volume e a capacidade de aprendizagem em até 50%. Portanto, é aconselhável testar-se com frequência ou no final de cada unidade. Além disso, possui um efeito psicológico muito positivo e é que mantém alta a motivação e a atenção em cada módulo, pois está ciente dessa avaliação no final.

Fracionar o tempo de estudo.

O cérebro humano pode manter uma alta intensidade apenas por um certo tempo, o que geralmente não excede 20-30 minutos e, portanto, o conhecimento é melhor assimilado em pequenos intervalos, porém mais intensos do que em uma sessão longa e ininterrupta. Portanto, de acordo com o livro  Make it Stick: the Science of Successful Learning, publicado pela Universidade de Harvard, é aconselhável dividir o tempo e até mesmo espaçar as sessões; Por exemplo, é altamente recomendável alternar uma meia hora de estudo com 10 minutos de descanso.

Estabelecer uma rotina de estudo.

Um detalhe muito importante, especialmente quando falamos sobre o ensino a distância, situação em que a disciplina torna-se mais importante. É muito mais fácil para o cérebro assimilar o conhecimento se as matérias forem abordadas de forma organizada, estruturada e trabalhada todos os dias, para evitar a pressa de última hora e estudar até tarde da noite. Além disso, acostumar-se a um horário estável evita a tendência de pular sessões de estudo.

Ser proativo.

A atitude do aluno nunca deve ser passiva. O processo de estudo não pode consistir em sentar e começar a ler, você deve fugir da memorização literal e linear. O aluno deve procurar informações por conta própria, também adicionais, uma vez que isso envolve uma melhor preparação para questões abertas. Também é conveniente fazer anotações a mão, diagramas e resumos em folhas individuais usando as próprias palavras, e ser capaz de parafrasear as lições envolve um esforço ativo de compreensão para o cérebro, pois é assim que tentamos “fazer nosso” o conteúdo, nesse sentido funciona explicar a lição para alguém em voz alta com as próprias palavras, atividade que permite reformular a lição e se autoavaliar ao mesmo tempo.

Diversificar os estímulos.

O cérebro reage a muitos estímulos diferentes e essa é uma grande vantagem; usar canetas, marcadores e papéis coloridos são atividades visuais que ajudam a associar conceitos e assimilar conhecimentos. Gravar-se explicando a lição em voz alta e ouvir repetidamente a gravação é uma excelente ferramenta que estimula a aprendizagem por meio do canal auditivo.

| , , , , , ,