Opiniões FUNIBER: José Liberato González, aluno salvadorenho: “FUNIBER ofereceu-me uma oportunidade de superação profissional”

Opiniões FUNIBER: José Liberato González, aluno salvadorenho: “FUNIBER ofereceu-me uma oportunidade de superação profissional”

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

José Liberato González Díaz é um aluno salvadorenho, bolsista pela FUNIBER que cursou o Mestrado em Direção Estratégica em Engenharia de Software com dupla titulação pela Universidad Internacional Iberoamericana de México (UNINI México) e pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO). Para José, estudar a distância foi uma excelente oportunidade de superação profissional com total flexibilidade e sem ter que sair de casa.

Como soube da FUNIBER e da atividade da fundação?

A primeira vez que ouvi sobre a FUNIBER foi por meio de uma colega de trabalho. A partir daí, procurei informação e entrei no site da Fundação: www.funiber.org.

O que fez com que você optasse pela FUNIBER?

O tipo de Mestrado que oferecem, já que me parecia uma abordagem assertiva para a realização de projetos de desenvolvimento e de gestão de software, e também com formação em gestão empresarial.

Como foi sua experiência com a fundação? Sentiu-se apoiado em seus estudos?

A experiência foi excelente. O pessoal da FUNIBER coordena bem e isso facilita seguir as evoluções dos estudantes. Eu, pessoalmente, senti-me muito apoiado, e só posso agradecer a FUNIBER e ao pessoal docente toda sua ajuda e o por ter podido ter acesso ao programa de bolsas da Fundação, que me facilitou grandemente poder aproveitar esta oportunidade.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais vantagens e desvantagens têm este sistema? Foi difícil poder finalizar seus estudos?

Foi uma experiência muito boa, me permitiu aproveitar uma oportunidade de superação profissional. Poder me organizar e trabalhar em meu tempo livre é um esforço e exige disciplina, mas é uma excelente oportunidade para melhorar, aprender e desenvolver novas habilidades e, em meu caso, permitiu-me conhecer um pessoal docente de alto nível e também trabalhar com estudantes de todo o mundo.

Fiquei muito satisfeito pela grande vantagem de poder cursar a formação no conforto do meu lar, podendo trabalhar em meu tempo livre. Minha principal desvantagem vinha quando tinha alguma dúvida e não me podiam solucionar isso de imediato, embora sempre me ajudaram de maneira diligente, assim que viam o e-mail. Outra dificuldade foi quando tinha menos tempo livre devido ao meu trabalho como engenheiro de software, no que dependendo do projeto posso ter dias longos e exaustivos.

A formação que cursou e seu corpo docente atende às suas expectativas?

Sim, definitivamente atenderam às minhas expectativas, tanto a formação como o pessoal docente, tanto em termos de conteúdo como o desenvolvimento das matérias.

O que você destacaria de sua experiência cursando os estudos patrocinados pela FUNIBER?

Foi uma oportunidade de superação pessoal e profissional a partir do conforto do meu lar, e isso não tem preço. Além disso, melhorei habilidades de análise e de pesquisa, reforcei e melhorei conhecimentos, aprendi a organizar melhor o tempo, a ser mais proativo e desenvolvi o hábito da leitura.

Você conseguiu aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER?

Sim, estou colocando em prática, já que em meu trabalho me atribuem projetos como engenheiro de software, e a parte estratégica e de liderança é tão importante como a puramente técnica.

Espera que a formação pela FUNIBER abra novos horizontes profissionais? Quais?

Sim, uma formação como esta é um valor diferencial no mundo da engenharia e as tecnologias, e me capacita para crescer profissionalmente e optar por postos de diretor de projetos, ou inclusive para realizar minhas próprias iniciativas.

Recomendaria o ensino dos programas patrocinados pela FUNIBER a algum amigo ou familiar?

Sim, claro, acredito que é uma excelente oportunidade para se superar e poder alcançar os sonhos.

| , , , , , , , , , , ,

Juliana Patricia Marín, a vice-campeã do IV Concurso Publicação Solidária

Juliana Patricia Marín, a vice-campeã do IV Concurso Publicação Solidária

Opiniões dos alunos, Publicaçao Solidaria 4

Juliana Patricia Marín é uma estudante de Armênia (Colômbia) que está cursando o Mestrado em Educação com um duplo diploma pela Universidad Internacional Iberoamericana de Porto Rico (UNINI) e pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLÁNTICO), bolsista pela Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

O prêmio recebido pelo segundo lugar do IV Concurso Publicação Solidária da FUNIBER é avaliado em 500€, que a estudante colombiana decidiu doar para a ONG com a qual ela colabora, a Associação Cristã de Moços / Young Men’s Christian Association (ACM/YMCA) da região colombiana do Quindío.

Conversamos com a aluna que recebeu o segundo lugar nesta edição do Concurso Publicação Solidária FUNIBER, para saber como ela viveu essa experiência:

Como você soube do concurso?31

Eu o conheci na publicidade da plataforma. Eu já tinha visto esta publicação no ano anterior, mas só agora me interessei em saber o que era.

Por que você decidiu participar do concurso?

Sou voluntária há 9 anos do YMCA, um movimento mundial ecumênico, não afiliado a nenhuma igreja, cuja ênfase é o envolvimento real dos jovens e suas comunidades, para a construção de uma comunidade humana, com justiça e amor, paz e reconciliação, a fim de alcançar a plenitude da vida em harmonia para todos.

A YMCA tem muitos programas sociais na Colômbia e particularmente na minha região cafeeira, portanto, o programa em particular que eu participei cumpria com os requisitos para participar do concurso e ter a oportunidade de adquirir recursos e facilitar o desenvolvimento do ensino de inglês para crianças em situação de vulnerabilidade social. Por esse motivo, decidi participar e apostar no bem-estar da minha comunidade.

Como você promoveu seu texto nas semifinais e na final?

Eu o fiz por meio de diferentes mídias, como WhatsApp, Instagram e Facebook. Primeiro, como voluntária, compartilhei com voluntários e staff do movimento YMCA para o país, amigos, familiares e, em seguida, chegou até os meios de comunicação local como imprensa, estações de rádio e sites. Todos os colombianos colocaram a camisa comigo para chegar longe.

O que você destacaria no concurso?

É uma excelente oportunidade para os estudantes e graduados considerar que tanto a academia, assim como a formação integral em que devemos agir como seres responsáveis, cidadãos interessados no bem comum, têm a mesma importância. Eu acredito que o tema da responsabilidade social nas instituições deve transcender e, como profissionais, devemos fazer mais por nossas comunidades.

Como você avalia sua experiência participando do IV Concurso Publicação Solidária?

Foi uma grande experiência. Acima de tudo, é uma grande inspiração e admiração saber quantas pessoas estão interessadas no bem-estar daqueles que precisam disso. O apoio desinteressado e constante de meus compatriotas apenas nos motiva para que como movimento sigamos trabalhando no que gostamos, estar ao serviço dos outros.

Considero também que fomos muito longe, considerando que o Brasil não é apenas um país muito maior do que a Colômbia, mas também porque a aluna que se candidatou possuía um mestrado em comunicação, o que lhe deu ainda mais vantagens para se expor. Fiquei feliz porque não foi apenas uma grande final, mas porque nós, os colombianos, lutamos até o final com um país que se formou como vencedor desde a sua criação.

Você participará dos próximos concursos?

Claro que sim. Não apenas porque gosto, mas também porque é um grande apoio e suporte para o movimento, nos tornamos conhecidos, agora muitos jovens querem ser voluntários e até pessoas comuns que viram nossa história querem ser doadores e apoiar o programa Playlee. Sem dúvida, esses concursos são uma janela para novas oportunidades.

Como você soube das atividades da YMCA? Por que você decidiu se envolver nelas?

Quando estudei meu curso de graduação na Universidade de Quindío, conheci o YMCA como um movimento mundial que proporcionava oportunidades de intercâmbio para estudantes. Viajei para os Estados Unidos para trabalhar em acampamentos de verão e, a partir daí, me vinculei como voluntária do movimento.

Como você avalia ter sido capaz de divulgar as atividades da ONG ACM/YMCA?

É sem dúvida uma das melhores experiências que tive como voluntária. Sinto-me feliz e orgulhosa de pertencer a esta grande família YMCA, cujo lema é transformar vidas, começando pela minha. Uma vida transformada para ser melhor e fazer mais para os meus.

Algum comentário ou mensagem para seus colegas da fase final e para a comunidade da FUNIBER?

Primeiro agradecer a FUNIBER por esta grande oportunidade como participante do concurso de Publicação Solidária. Aos alunos e graduados, quero convidá-los assim como eu, a aproveitarem e a solicitarem para instituições que promovam causas sociais e por que não, pertencer a elas. A YMCA está em 121 países do mundo. Isso seria um bom começo. Além disso, espero que possam aprender mais sobre esse tipo de movimento e não apenas se formarem como excelentes profissionais, mas também como grandes seres humanos que deixam marcas em suas comunidades.

Como a ONG ACM/YMCA investirá o dinheiro do prêmio?

Levando em consideração as necessidades apresentadas no meu blog, haverá um encontro com os voluntários para estabelecer o nível de prioridades que temos no desenvolvimento do programa, que são principalmente os recursos educacionais como livros, materiais escolares, um quadro entre outros.

Links relacionados:

| , , , , , , , , ,

FUNIBER promove o novo Mestrado em Coaching Pessoal e Liderança Organizacional

Docentes, Notícias, Perguntas frequentes

Neste mês de janeiro, a Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO) iniciou um novo Mestrado em Coaching Pessoal e Liderança Organizacional, que a Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) patrocina. Para saber mais sobre este novo programa e sobre a disciplina do Coaching, a diretora do programa, Vanessa Yélamos, respondeu algumas perguntas que dão uma ideia sobre o que se pode esperar deste Mestrado e a quem é dirigido.

Vanessa Yélamos é doutoranda em Educação pela Universidad Internacional Iberoamericana (UNINI), cursou um Mestrado em Coaching Sistêmico em regime de dupla titulação pela Universidade Autônoma de Barcelona e pelo Instituto Sistêmico de Barcelona (Espanha) e é graduado em Psicologia pela Universidade de Barcelona (Espanha).

Sobre o Mestrado em Coaching Pessoal e Liderança Organizacional, ela aponta que oferece conhecimentos e ferramentas seguindo as diretrizes mais atuais de uma disciplina tão nova como é o Coaching.

Neste primeiro vídeo, Vanessa Yélamos fala sobre os objetivos do novo Mestrado e do programa de estudos.

Nesta segunda parte da entrevista, descobriremos a quem é dirigido este novo programa e o qual a expectativa dos alunos deste Mestrado.

Na parte final da entrevista, Vanessa Yélamos explica-nos o diferencial deste novo Mestrado e como ele pode ajudar os estudantes no mercado de trabalho.

| , , , , , ,