campanha solidária en Concurso Publicação Solidária

Tudo pronto para conhecer os 10 semifinalistas do IV Concurso Publicação Solidária

Funi-concursos, Publicaçao Solidaria 4

No dia 26 de novembro terminou o prazo para a entrega dos textos para a campanha solidária e no dia 12 de dezembro, vamos conhecer os 10 semifinalistas da quarta edição do Concurso de Publicação Solidária da FUNIBER.

Entre os muitíssimos alunos e ex-alunos bolsistas pela fundação que mostraram o seu lado mais solidário, encontramos participantes de muitos lugares do mundo, como por exemplo do Brasil, da Argentina, de Moçambique, da Espanha, do Equador ou da Venezuela.

Próximas fases do concurso

Nesses dias, o jurado da FUNIBER está avaliando cuidadosamente os inúmeros trabalhos recebidos para escolher os dez semifinalistas que vão para a próxima fase do concurso, que serão divulgados neste mesmo blog, no próximo dia 12 de dezembro.
A partir de então, será aberto um novo período de votação popular no qual os três projetos mais votados vão passar para a grande final. Pode-se votar simplesmente dando um ‘like’ nos posts do Facebook em cada um dos trabalhos na página da FUNIBER. A votação termina no dia 28 de dezembro às 23h59, horário da Espanha.
No dia 29 de dezembro, vamos saber quem são os três finalistas do concurso e, então, começará a grande final, que também será decidida por votação popular e seguindo o mesmo sistema de ‘likes’ no Facebook.

O ganhador ou ganhadora será revelado no 16 de janeiro de 2018 e, juntamente com o reconhecimento por parte da comunidade FUNIBER, receberá 1000 euros para a ONG que escolheu para participar do concurso, enquanto que o segundo classificado receberá 500 euros para que sejam doados à sua instituição.

As ONGs têm um papel essencial nas sociedades de hoje e procuram ajudar a quem mais precisa, em diversos setores. Chegando onde as políticas das administrações não conseguem, isso tem levado muitas organizações não governamentais a desfrutarem de certa popularidade, é o caso dos Médicos sin Fronteras o Save the Children, por representarem dois dos exemplos mais mediáticos.

A comunidade FUNIBER também mostrou estar preocupada na causa solidária com vários exemplos, como a corrida beneficente em que recentemente a FUNIBER Espanha participou ou a Campanha de doações de roupa de inverno da FUNIBER Brasil. Além disso, membros da FUNIBER participaram da corrida contra o câncer de mama, participado de eventos esportivos patrocinados por ONGs como Children with cancer UK ou ajudando em cozinhas sociais ou beneficentes.

Você também pode contribuir com o seu grãozinho de areia

Todo mundo pode fazer uma pequena ajuda de forma muito fácil; somente é necessário ler os artigos solidários que estarão em nosso Facebook, observar a ONG que o autor pretende ajudar e votar no texto que mais gostar, assim você contribuirá para uma boa causa. Fácil, não é mesmo?

| , , , , , ,

Opinião de Walter Tapia, aluno bolsista do Mestrado em Gestão Estratégica

Opinião de Walter Tapia, aluno bolsista do Mestrado em Gestão Estratégica

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

Walter Tapia é um aluno natural do Peru, atua hoje em dia como gerente da empresa de cosméticos Unique S.A. e possui experiência em cargos altos na padaria Bimbo. Foi aluno bolsista pela FUNIBER, do curso de Mestrado em Direção Estratégica pela Universidade Científica do Sul e considera essencial estar continuamente se aperfeiçoando para obter êxito em um mundo tão competitivo como este.

Como ficou sabendo da FUNIBER e das atividades da Fundação?

Eu conheci a FUNIBER por meio de um amigo em 2005, que também estava interessado em fazer um Mestrado on-line. Neste momento eu estava cursando um Mestrado aqui no Peru em tempo parcial, porém no final daquele ano me ofereceram um trabalho na Argentina na BIMBO como diretor comercial da América Latina, por isso fui em busca de outras opções para seguir estudando. Eu visitei a FUNIBER no PERU, vi os projetos e treinamentos patrocinados pela fundação e o Mestrado em Gestão Estratégica me chamou a atenção, e como eu viajava muito, foi bom fazê-lo virtualmente.

O que fez você optar pelos cursos patrocinados pela FUNIBER?

Quando alguém busca informações sobre os cursos, sempre considera os prós e os contras. Quando me deparei com o dilema de ir à Argentina para um trabalho melhor ou permanecer no Peru onde estava estudando, me pareceu uma excelente opção ir para esse trabalho melhor mas seguir estudando online, já que estava muito interessado. Dos estudos, gostei do programa de estudos, dos cursos e da forma de conduzi-los. Era notável a boa estrutura do Mestrado.

Como foi a sua experiência com a fundação? Sentiu-se ajudado e apoiado em seus estudos?

Foi muito interessante, era algo novo para mim, não havia estudado nenhum programa longo de forma virtual até aquele momento e me senti muito apoiado pela FUNIBER e pela diretoria da sede do Peru até então. Foi importante esse apoio, sobretudo quando havia algum problema técnico. Além disso, a FUNIBER do Peru, me enviava todos os materiais fisicamente até a Argentina, não precisei nem me registrar na sede da FUNIBER na Argentina. O certo é que a experiência global foi menos complexa do que eu pensava e muito mais ágil.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais as vantagens e os desvantagens deste sistema? Foi difícil combinar os estudos com a sua vida profissional?

Eu viajava muito, mas sempre tentava me manter conectado, onde estivesse. Sempre que parava em um hotel e tinha um tempo, fazia algum trabalho para meus estudos. Assim cumpri com o programa em dois anos e pude fazer minha tese.

Sobre ser difícil, a verdade é que disciplina. Todos os estudos que alguém inicia juntamente com o trabalho são difíceis, mas é uma questão de prioridade e se os estudos são uma, sempre há tempo. Para mim, continuar estudando é parte fundamental da minha vida, nunca deixo de me preparar porque o mundo é muito competitivo, hoje em dia continuo me aperfeiçoando. E, como dizia minha mãe, o saber não ocupa espaço.

O que mais senti falta em relação a educação convencional, foi talvez o contato direto com as pessoas, que é sempre importante. Mas, por outro lado, me pareceu uma grande qualidade poder fazer contato com pessoas do mundo todo, que de outra forma custaria bem mais.

O curso e os professores cumpriram com as suas expectativas?

Sim, eu acredito que elas cumpriram com louvor, embora esse tema sempre dependa muito de si mesmo. No caso do ensino on-line sempre depende muito mais do que se faz, embora agora seja menos individual que antes, talvez tenha fortalecido mais o vínculo entre aluno e estudante.

Eu precisava de mais contato com o pessoal administrativo do centro do que com os professores, principalmente para dúvidas técnicas. Embora em certas ocasiões, em algum curso que não ia tão bem, senti falta de um contato mais direto e contínuo com o professor. Não tanto na questão qualitativa, já que isso sempre foi excelente, mas na questão quantitativa, mais contínua.

O que você destacaria até a data de sua experiência cursando os estudos patrocinado pela FUNIBER?

O que mais ressalto na minha formação é que o mestrado foi muito bem projetado e estruturado, com muito equilíbrio entre teoria e prática, material agradável e interessante. Também fiquei grato por ter os materiais em formato físico e também on-line. Gostei muito, era um material interessante e necessário dedicar um certo tempo.

Gosto do conceito da FUNIBER, já que facilita o acesso a uma educação superior para muitas pessoas que por limitações de tempo, dinheiro ou de outra maneira, não poderiam jamais cursar essas formações.

Você está podendo aplicar os conhecimentos adquiridos com a formação patrocinada pela FUNIBER na sua vida profissional?

Sim, definitivamente, sim. Tudo é aplicável hoje em dia, o mundo atualmente é muito colaborativo e é necessário se especializar e crescer profissionalmente a todo momento, especialmente quando já não é tão jovem. Todo material que alguém estuda é relevante e contribui com algo. E um mestrado assim te fornece muito a nível estratégico e te orienta para tomada de decisões na vida profissional.

Você apresentou uma proposta de tese sobre treinamento em vendas na sua empresa, qual era o objetivo inicial do seu projeto?

Uma das minhas principais preocupações era que não existe uma escola profissional de vendas em toda a América Latina, um centro educativo que forme vendedores. Existem centros para outros campos como o marketing, mas não em vendas, na Espanha estão tentando fazer algo neste sentido, mas não na América Latina, e isso faz com que vendas seja um setor pouco profissionalizado, é algo visto como último recurso ou algo para se dedicar se você não sabe o que fazer.

Os gerentes de vendas ou comerciais têm outras formações. Não busco formar gerentes, já que essas aptidões podem ser aprendidas em outras áreas, mas busco treinamento de vendedores profissionais. Surpreende que os departamentos de vendas sejam algo tão importante em uma empresa e ainda siga sem um setor profissionalizado. Um vendedor deve ter certas capacidades para aumentar os resultados, tanto a nível social como profissional; podem ser desenvolvidas uma infinidade de habilidades como a psicologia ou a técnica de vendas, o trabalho de vendedor é mais complexo do que se pensa.

Você está planejando aplicar o programa de treinamentos adicionais para as assessoras comerciais independentes da Unique S.A?

Sim, é necessário adaptar suas possibilidades econômicas e horárias. Mas tentamos treinar vendedores todo dia, não mais do que duas horas depois da jornada de trabalho, e mais um pouco no sábado, durante um período de no máximo oito meses. É um treinamento que tentamos que seja flexível e se adapte ao trabalho do vendedor, que é volátil e pode mudar, já que costumas ter ciclos de vendas de quatro semanas. Buscamos treinar vendedores profissionais no aspecto técnico, mas também no aspecto humano e social.

Por que acredita-se que as jovens eram as que apresentavam menos capacitação?

Geralmente os vendedores mais jovens supõem que a parte prática se aprende no dia a dia e não necessitam de mais técnicas de abordagem, venda de produto ou captação de clientes, e não entendem que é necessário o estudo para se profissionalizar. Normalmente os vendedores entendem isso mais tarde, já que a princípio pensam que com o impulso, a força e o carisma da juventude vão conquistar o mundo. Mas é necessário algo a mais. O que estamos tentando fazer é treiná-los desde o começo para que possam crescer mais cedo e melhores.

Você recomendaria para algum amigo ou familiar, estudar por intermédio da FUNIBER?

Sim, é claro, nem todo mundo tem a oportunidade de estudar presencialmente. O mundo de hoje é muito competitivo, com traslados, viagens constantes e pouco tempo, e o tempo vale ouro, então a oportunidade de ter todo conhecimento na internet te permite investir seu tempo livre, no seu ritmo, para estudar sem precisar se deslocar, nem estar em um site em um horário determinado ao longo do dia, ou metade do dia, ou algumas horas, é uma oportunidade que precisa ser aproveitada.

Acredito que o modelo on-line tem muito futuro; a prova é que Harvard, líder mundial em mestrados, também dará início neste tipo de estudo. A FUNIBER cumpre aqui um grande papel, facilitando o acesso com a rede universitária a que pertence e seus programas de bolsas, para titulações superiores às pessoas que não poderiam estudar de outra maneira.

| , , , , , , , , , ,

Área acadêmica de Projetos prepara um fim de outono com muitas atividades

Área acadêmica de Projetos prepara um fim de outono com muitas atividades

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

A área acadêmica de projetos que a FUNIBER promove preparou uma reta final de outono cheia de atividades presenciais que serão realizadas em diferentes países da América Latina.

Trata-se de um ciclo de oficinas e conferências que tiveram início no dia 14 de novembro às 18h no Hotel Crowne Plaza Miraflores de Lima, no Peru, com a conferência sobre o desenvolvimento e a gestão de projetos “Metodologias de ensino na formulação de projetos”, ministrada pelo professor Santiago Brie.

O próprio Brie, no dia seguinte, dirigirá duas oficinas na sede da FUNIBER no Peru. A primeira oficina, intitulada “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»”, terá início às 14h e será uma aproximação à metodologia de aprendizagem predominante nos estudos patrocinados pela FUNIBER. Já a segunda terá início às 16h, e será intitulada: “Esboços metodológicos para a elaboração de um trabalho final”, tem o objetivo de familiarizar os alunos com diferentes metodologias para enfrentar a realização de uma tese final de estudos. Ambas as oficinas serão ministradas em diversos países ao longo das seguintes semanas e o próprio professor Santiago Brie irá ministrar no dia 16 de novembro na sede da FUNIBER em Guayaquil (Equador) às 16h e às 18h, respectivamente. “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” voltará a ser realizada na sexta-feira 18 de novembro, às 10h da manhã no Hotel Sebastián da Quito, na capital equatoriana.

Os seguintes eventos serão realizados no Auditório Gaudí Ocidente da Câmara de Comércio Hispano-Colombiana de Bogotá (Colômbia), em que no dia 20 de novembro, às 18h, o professor Santiago Brie vai ministrar a conferência “O processo acadêmico na formulação de projetos” e, ato seguido, será o turno do Nelson Yepes com sua conferência “Modelos de projetos relacionados ao desenvolvimento econômico”.

Na terça-feira, 21 de novembro, na mesma Câmara de comércio Hispano-Colombiana, Santiago Brie voltará a ministrar as oficinas “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final” às 14h e às 16h, respectivamente.

As atividades da área acadêmica de Projetos irão fechar o mês de novembro e terão início em dezembro no  Hotel Los Tajibos de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. O professor Roberto Prudencio será o responsável de ministrar a Oficina Módulo de Projeto “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»”, na quinta-feira 30 de novembro, às 19h, Roberto Alvarez irá ministrar a Oficina de Tese “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final”, no dia 1º de dezembro às 19h.

As atividades programadas pela área de Projetos terão uma pausa e serão retomadas as atividades no dia 11 de dezembro na sede da FUNIBER, na Cidade do México, onde os professores Santiago Brie e Roberto Alvarez irão realizar as oficinas “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e “Esboços Metodológicos para a elaboração de Trabalho Final” às 10h e às 12h30, respectivamente.

O último dia de atividades preparadas pela área de Projetos será a sexta-feira, dia 15 de dezembro, sendo realizadas atividades na Argentina e no Uruguai.

Por um lado, no Hotel Savoy de Buenos Aires, Santiago Brie dirigirá a 4° Ronda de Certificação Internacional de Competências IPMA  Nível D às 9h; já às 14h, Mariela Rodríguez irá ministrar a oficina “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” e às 16h Alberto Vera fará o mesmo com a oficina “Esboços Metodológicos para a elaboração de um Trabalho Final”.

Já na Câmara Oficial Espanhola de Comércio, Indústria e Navegação do Uruguai, em Montevidéu, os eventos estão programados de maneira similar com Pablo Urquizó responsável pela 4° Ronda de Certificação Internacional de Competências IPMA Nível D, às 9h a da Oficina de Tese, e às 16h com Madalena Penha e Fabrizio da Paula dirigindo a oficina “Uma aproximação à metodologia «Aprender fazendo»” às 14 horas.

Você pode consultar o programa completo aqui

| , , , , , , ,