Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária de FUNIBER

Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária

Funi-concursos, Publicaçao Solidaria 4

Ana Elisa Martínez é estudante guatemalteca, bolsista pela FUNIBER, ela cursou a Especialização em Habilidades Diretivas e atualmente está cursando o Mestrado em Resolução de Conflitos e Mediação, ambas as formações com titulação pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO). Ana Elisa fou terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária.

Ana Elisa chegou perto dos dois primeiros prêmios com seu emocionante texto La vida puede ser bella, que falava da atividade da ONG Asociação La Alianza, que ajuda a jovens e crianças vítimas de abusos e maus tratos, sejam físicos ou emocionais.

Conversamos com a finalista da IV Publicação Solidária para saber como foi a sua experiência no concurso.

Como conheceu o concurso?

Eu vi um anúncio no portal da FUNIBER.

Por que você decidiu participar do concurso?

Para poder ajudar os menores da Guatemala, tornando público o trabalho realizado pela Associação La Alianza.

Como você promoveu seu texto nas semifinais e na final?

Por meio das redes sociais, também procurei o apoio de amigas e familiares, claro.

O que destacaria do concurso?

A oportunidade de apoiar a ONG e tornar público o trabalho realizado para ajudar pessoas desfavorecidas.

Como você avalia sua experiência participando do IV Concurso Publicação Solidária?

Muito positivamente, já que me permitiu divulgar a ONG que eu gostaria de apoiar.

Você acha que participará de próximos concursos?

Possivelmente eu voltaria a participar de algum concurso, mas depende do tipo de concurso e do que terei que fazer. Quando se tratava de apenas conseguir votos, já era uma dinâmica complexa e competitiva em algo, assim, não voltaria a participar.

Como soube das atividades da ONG Associação La Alianza? Por que você decidiu envolver-se nelas?

Faz mais de um ano que colaboro com a Associação La Alianza da Guatemala como voluntária. Comecei porque me pareceu um trabalho maravilhoso o que realizavam menores que tinham sido vítimas de abuso sexual.

A ONG trabalha em quatro frentes que têm relação entre eles; proteção, prevenção, apoio e acompanhamento legal e incidência. Tudo isso para poder oferecer aos menores um melhor desenvolvimento e garantir seu bem-estar, para conseguir a melhor transição possível à vida adulta.

Como você avalia ter podido divulgar as atividades da ONG Associação La Alianza?

É algo muito especial ter podido divulgar suas atividades, pois talvez assim possamos ajudar a alguém que não sabia da existência da Associação. Espero que lhes tenha podido fazer chegar um pouco de esperança. Também é importante o mero trabalho informativo para chegar a quem não tem sofrido este problema, pois é importante sensibilizar à população geral.

Algum comentário ou mensagem para suas colegas da fase final e para a comunidade da FUNIBER?

Quero agradecer à FUNIBER esta oportunidade de fazer algo tão bom. Quero parabenizar às finalistas e semifinalistas pelo maravilhoso trabalho social que elas realizam.

Links relacionados:

| , , , , , , , ,

Juliana Patricia Marín, a vice-campeã do IV Concurso Publicação Solidária

Juliana Patricia Marín, a vice-campeã do IV Concurso Publicação Solidária

Opiniões dos alunos, Publicaçao Solidaria 4

Juliana Patricia Marín é uma estudante de Armênia (Colômbia) que está cursando o Mestrado em Educação com um duplo diploma pela Universidad Internacional Iberoamericana de Porto Rico (UNINI) e pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLÁNTICO), bolsista pela Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

O prêmio recebido pelo segundo lugar do IV Concurso Publicação Solidária da FUNIBER é avaliado em 500€, que a estudante colombiana decidiu doar para a ONG com a qual ela colabora, a Associação Cristã de Moços / Young Men’s Christian Association (ACM/YMCA) da região colombiana do Quindío.

Conversamos com a aluna que recebeu o segundo lugar nesta edição do Concurso Publicação Solidária FUNIBER, para saber como ela viveu essa experiência:

Como você soube do concurso?31

Eu o conheci na publicidade da plataforma. Eu já tinha visto esta publicação no ano anterior, mas só agora me interessei em saber o que era.

Por que você decidiu participar do concurso?

Sou voluntária há 9 anos do YMCA, um movimento mundial ecumênico, não afiliado a nenhuma igreja, cuja ênfase é o envolvimento real dos jovens e suas comunidades, para a construção de uma comunidade humana, com justiça e amor, paz e reconciliação, a fim de alcançar a plenitude da vida em harmonia para todos.

A YMCA tem muitos programas sociais na Colômbia e particularmente na minha região cafeeira, portanto, o programa em particular que eu participei cumpria com os requisitos para participar do concurso e ter a oportunidade de adquirir recursos e facilitar o desenvolvimento do ensino de inglês para crianças em situação de vulnerabilidade social. Por esse motivo, decidi participar e apostar no bem-estar da minha comunidade.

Como você promoveu seu texto nas semifinais e na final?

Eu o fiz por meio de diferentes mídias, como WhatsApp, Instagram e Facebook. Primeiro, como voluntária, compartilhei com voluntários e staff do movimento YMCA para o país, amigos, familiares e, em seguida, chegou até os meios de comunicação local como imprensa, estações de rádio e sites. Todos os colombianos colocaram a camisa comigo para chegar longe.

O que você destacaria no concurso?

É uma excelente oportunidade para os estudantes e graduados considerar que tanto a academia, assim como a formação integral em que devemos agir como seres responsáveis, cidadãos interessados no bem comum, têm a mesma importância. Eu acredito que o tema da responsabilidade social nas instituições deve transcender e, como profissionais, devemos fazer mais por nossas comunidades.

Como você avalia sua experiência participando do IV Concurso Publicação Solidária?

Foi uma grande experiência. Acima de tudo, é uma grande inspiração e admiração saber quantas pessoas estão interessadas no bem-estar daqueles que precisam disso. O apoio desinteressado e constante de meus compatriotas apenas nos motiva para que como movimento sigamos trabalhando no que gostamos, estar ao serviço dos outros.

Considero também que fomos muito longe, considerando que o Brasil não é apenas um país muito maior do que a Colômbia, mas também porque a aluna que se candidatou possuía um mestrado em comunicação, o que lhe deu ainda mais vantagens para se expor. Fiquei feliz porque não foi apenas uma grande final, mas porque nós, os colombianos, lutamos até o final com um país que se formou como vencedor desde a sua criação.

Você participará dos próximos concursos?

Claro que sim. Não apenas porque gosto, mas também porque é um grande apoio e suporte para o movimento, nos tornamos conhecidos, agora muitos jovens querem ser voluntários e até pessoas comuns que viram nossa história querem ser doadores e apoiar o programa Playlee. Sem dúvida, esses concursos são uma janela para novas oportunidades.

Como você soube das atividades da YMCA? Por que você decidiu se envolver nelas?

Quando estudei meu curso de graduação na Universidade de Quindío, conheci o YMCA como um movimento mundial que proporcionava oportunidades de intercâmbio para estudantes. Viajei para os Estados Unidos para trabalhar em acampamentos de verão e, a partir daí, me vinculei como voluntária do movimento.

Como você avalia ter sido capaz de divulgar as atividades da ONG ACM/YMCA?

É sem dúvida uma das melhores experiências que tive como voluntária. Sinto-me feliz e orgulhosa de pertencer a esta grande família YMCA, cujo lema é transformar vidas, começando pela minha. Uma vida transformada para ser melhor e fazer mais para os meus.

Algum comentário ou mensagem para seus colegas da fase final e para a comunidade da FUNIBER?

Primeiro agradecer a FUNIBER por esta grande oportunidade como participante do concurso de Publicação Solidária. Aos alunos e graduados, quero convidá-los assim como eu, a aproveitarem e a solicitarem para instituições que promovam causas sociais e por que não, pertencer a elas. A YMCA está em 121 países do mundo. Isso seria um bom começo. Além disso, espero que possam aprender mais sobre esse tipo de movimento e não apenas se formarem como excelentes profissionais, mas também como grandes seres humanos que deixam marcas em suas comunidades.

Como a ONG ACM/YMCA investirá o dinheiro do prêmio?

Levando em consideração as necessidades apresentadas no meu blog, haverá um encontro com os voluntários para estabelecer o nível de prioridades que temos no desenvolvimento do programa, que são principalmente os recursos educacionais como livros, materiais escolares, um quadro entre outros.

Links relacionados:

| , , , , , , , , ,

Natalí de Oliveira Alencar recebe prêmio pela primeira colocação do IV Concurso Publicação Solidária no III Encontro de Educação

Funi-concursos, Publicaçao Solidaria 4

A ganhadora do IV Concurso da FUNIBER Publicação Solidária, a brasileira Natalí de Oliveira Alencar, recebeu o prêmio do primeiro lugar do concurso – na última quarta-feira, dia 24 de janeiro – das mãos da vice-diretora internacional da Fundação, Marta Escolà. A entrega foi parte da cerimônia de abertura do III Encontro de Educação que a FUNIBER organizou na cidade de Florianópolis, entre os dias 24 e 26 de janeiro de 2018.

Natalí, estudante do Mestrado em Comunicação da Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO), escreveu um texto muito emocionante sobre a ONG brasileira Centro de Valorização da Vida (CVV), uma organização que oferece apoio para pessoas em situações de vulnerabilidade e risco de exclusão social para evitar o suicídio, causa pela qual no Brasil morrem 32 pessoas por dia.

A ganhadora do IV Concurso FUNIBER Publicação Solidária, ao receber o prêmio, declarou que muito mais importante que a sua vitória, foi o fato que “levar o artigo ao conhecimento das pessoas ajudou muitas pessoas a conhecer o Centro de Valorização da Vida (CVV) e seu trabalho” com a esperança de poder “ajudar quem estivesse passando por algum momento difícil e precisasse de apoio emocional”.

A aluna brasileira alcançou o prêmio em uma  votação apertada vencendo por apenas 23 votos, 4174 a 4151, para a estudante colombiana Juliana Patricia Marín, que escreveu um  texto repleto de esperança e otimismo sobre suas experiências na ONG com a qual ela colabora como voluntária, a ACM/YMCA de Quindío (Colômbia). O terceiro lugar foi para Ana Elisa Martínez da Guatemala, que apresentou um dos textos mais inspiradores da quarta edição da Publicação Solidária, que falava sobre a ONG Associação La Alianza.

O primeiro prêmio é avaliado em 1000 euros, no qual a ganhadora doará para a ONG representada, o CVV. Já o segundo lugar recebeu 500 euros, no qual também a estudante colombiana dedicará ao mesmo fim.

O objetivo principal do concurso anual da FUNIBER, Publicação Solidária, é divulgar a atividade de organizações cujo trabalho muitas vezes passa despercebido pela mídia e pelo público em geral.

| , , , , ,