Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária de FUNIBER

Entrevista com Ana Elisa Martínez, terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária

Funi-concursos, Publicaçao Solidaria 4

Ana Elisa Martínez é estudante guatemalteca, bolsista pela FUNIBER, ela cursou a Especialização em Habilidades Diretivas e atualmente está cursando o Mestrado em Resolução de Conflitos e Mediação, ambas as formações com titulação pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO). Ana Elisa fou terceira classificada do IV Concurso Publicação Solidária.

Ana Elisa chegou perto dos dois primeiros prêmios com seu emocionante texto La vida puede ser bella, que falava da atividade da ONG Asociação La Alianza, que ajuda a jovens e crianças vítimas de abusos e maus tratos, sejam físicos ou emocionais.

Conversamos com a finalista da IV Publicação Solidária para saber como foi a sua experiência no concurso.

Como conheceu o concurso?

Eu vi um anúncio no portal da FUNIBER.

Por que você decidiu participar do concurso?

Para poder ajudar os menores da Guatemala, tornando público o trabalho realizado pela Associação La Alianza.

Como você promoveu seu texto nas semifinais e na final?

Por meio das redes sociais, também procurei o apoio de amigas e familiares, claro.

O que destacaria do concurso?

A oportunidade de apoiar a ONG e tornar público o trabalho realizado para ajudar pessoas desfavorecidas.

Como você avalia sua experiência participando do IV Concurso Publicação Solidária?

Muito positivamente, já que me permitiu divulgar a ONG que eu gostaria de apoiar.

Você acha que participará de próximos concursos?

Possivelmente eu voltaria a participar de algum concurso, mas depende do tipo de concurso e do que terei que fazer. Quando se tratava de apenas conseguir votos, já era uma dinâmica complexa e competitiva em algo, assim, não voltaria a participar.

Como soube das atividades da ONG Associação La Alianza? Por que você decidiu envolver-se nelas?

Faz mais de um ano que colaboro com a Associação La Alianza da Guatemala como voluntária. Comecei porque me pareceu um trabalho maravilhoso o que realizavam menores que tinham sido vítimas de abuso sexual.

A ONG trabalha em quatro frentes que têm relação entre eles; proteção, prevenção, apoio e acompanhamento legal e incidência. Tudo isso para poder oferecer aos menores um melhor desenvolvimento e garantir seu bem-estar, para conseguir a melhor transição possível à vida adulta.

Como você avalia ter podido divulgar as atividades da ONG Associação La Alianza?

É algo muito especial ter podido divulgar suas atividades, pois talvez assim possamos ajudar a alguém que não sabia da existência da Associação. Espero que lhes tenha podido fazer chegar um pouco de esperança. Também é importante o mero trabalho informativo para chegar a quem não tem sofrido este problema, pois é importante sensibilizar à população geral.

Algum comentário ou mensagem para suas colegas da fase final e para a comunidade da FUNIBER?

Quero agradecer à FUNIBER esta oportunidade de fazer algo tão bom. Quero parabenizar às finalistas e semifinalistas pelo maravilhoso trabalho social que elas realizam.

Links relacionados:

| , , , , , , , ,

Opinião de Xiomara Villamizar, aluna bolsista da Especialização em Grafologia e Neuroescrita

Opinião de Xiomara Villamizar, aluna bolsista da Especialização em Grafologia e Neuroescrita

Opiniões dos alunos, Opinioes Funiber

Xiomara Villamizar é uma aluna Venezuelana que cursou a Especialização em Grafologia e Neuroescrita com titulação pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLÂNTICO) e bolsista pela FUNIBER. Xiomara é professora do ensino infantil e estudou a especialização a fim de obter ferramentas para diagnosticar as dificuldades psicoemocionais em crianças de 5 a 6 anos.

Como conheceu a FUNIBER e as atividades desta fundação?

Queria realizar estudos de pós-graduação a distância, um dia navegando na Internet por Universidades e seus programas de formação para ver qual me interessaria, abri um link da FUNIBER e preenchi um formulário para solicitar informações. No dia seguinte recebi uma ligação da Lorena Beltrán, que me explicou tudo relacionado com a fundação e me enviou por e-mail, toda a informação sobre os conteúdos de formação da especialidade e o plano de bolsas.

O que fez você optar pela FUNIBER?

Em primeiro lugar a proposta de um plano de formação em grafologia. Em segundo, pelo plano de ajuda econômica para o estudante. E por último, o apoio de Lorena Beltrán, do departamento de admissão, foi de grande ajuda, porque me explicava uma ou outra vez o que eu devia fazer.

Como foi sua experiência com a fundação? Sentiu-se apoiada em seus estudos?

Minha experiência na FUNIBER foi ótima, devo confessar que a princípio estava nervosa; me preocupava em não me adaptar a metodologia de estudo, mas uma vez que realizei os tutoriais, me dei conta que a plataforma (o campus) era de fácil acesso aos conteúdos, tudo relacionado as avaliações, também facilita a troca de informações com a equipe docente da universidade e com o pessoal técnico e consultivo da FUNIBER

Sentim-me apoiada durante todo o processo de formação, desde o início quando solicitei informação até o término dos meus estudos. Aproveito a ocasião para agradecer a atenção dada, à professora Alejandra Sandoval que desde que iniciei a primeira matéria, esteve me orientando e esclarecendo minhas dúvidas, da mesma forma, ao pessoal da FUNIBER da Venezuela.

Como foi a experiência de estudar a distância? Quais as vantagens e desvantagens que esse sistema possui? Foi difícil poder finalizar seus estudos?

Para estudar a distância, requer disciplina e organização, o estudante é responsável por sua autoformação. Eu gostei de estudar a distância porque eu decidia quando e onde estudar, meus estudos não interferiram no meu trabalho e nem na minha vida pessoal, nunca faltei ao meu trabalho porque tinha que fazer algo da Universidade ou deixei de viajar por questões de estudos. Essa é a vantagem de estudar a distância, o sistema é criado para que o estudante possa acessá-lo quando quiser e de onde quiser. A principal desvantagem é que devido à localização geográfica onde me encontro, o acesso à Internet é difícil, porém para o estudo dos materiais não tive complicações porque, apesar de estar no campus, eles também o fazem chegar de forma impressa.

Suas expectativas em relação ao curso e aos professores foram atendidas?

De maneira geral sim, quanto aos professores, a quantidade e a qualidade do tempo dedicado a minha formação foi excelente. Em relação à minha formação, não me encaixava na matéria Teste Grafológicos e Testes Projetivos Gráficos, principalmente porque a especialização é dirigida inicialmente a área de administração de Recursos Humanos, e gostaria que lá, fossem abordados os testes projetivos da Figura Humana, A Casa, Pessoa Sob a Chuva, A Família, entre outros, que pertencem a um campo mais puramente psicológico. Para me documentar nesse assunto, decidi realizar meu Projeto Final apoiando-me em Técnicas projetivas gráficas, me baseie na pesquisa e na assessoria da tutora para aprofundar a informação sobre a matéria.

Deve-se notar que, para apresentar as avaliações ordinárias da matéria antes mencionada, estudei por meio do campus porque o material impresso não havia chegado e eu queria aproveitar o tempo. Uma vez cursada a matéria, contatei a FUNIBER da Venezuela para perguntar porque não havia chegado meu material dessa matéria e a resposta foi que como já havia cursado não ia chegar esse material, como de fato ocorreu.

O que você destacaria de sua experiência cursando os estudos patrocinados pela FUNIBER?

Apesar de serem a distância, a atenção prestada é personalizada. Além disso, foi promovida a troca de experiências com outros estudantes de diferentes partes do mundo por meio do campus e por vídeo chamada no Skype.

Você está podendo aplicar os conhecimentos adquiridos com sua formação patrocinada pela FUNIBER?

Dado que me desempenho profissionalmente como docente na área pré-escolar, uma das atividades que mais desenvolve e que resulta de maior atração para as crianças é o desenho. É ali que, se torna inevitável aplicar constantemente os conhecimentos adquiridos, por meio da análise e interpretação de suas produções gráficas, as quais permitem me familiarizar com a linguagem própria que o aluno utiliza para exteriorizar seu estado de ânimo, a forma que vê a si mesmo e o mundo ao redor.

O que você descobriu no seu fascinante projeto final da especialidade? O que se pode saber sobre uma criança e sua psicologia por meio de seus desenhos?

A expressão gráfica e o desenho são ferramentas que permitem os alunos expressarem de forma inconsciente emoções, desejos e sentimentos; é uma linguagem subjetiva; em que são transmitidas evidências de como pensam e compreendem o que lhes rodeia. Além de refletir sua personalidade, sentimentos, interesses e inquietudes. Por meio dos desenhos é possível a comunicação, fato que permite os docentes obter informação oportuna e relevante em relação aos interesses, estímulos, motivações e questões que afligem e perturbam as crianças e que interferem no seu processo de aprendizagem.

Você espera que a formação obtida por meio da FUNIBER abra novos horizontes profissionais? Quais?

Inicialmente, esperava que a formação permitisse melhorar meu desemprenho na área de docência, no entanto, tenho interesse em outras áreas profissionais:

  • Tornar-me independente criando um espaço onde se dá atenção a crianças com dificuldades psicoemocionais.
  • Na área de formação de adultos, com oficinas sobre expressão gráfica e desenho.
  • Na área de perícia grafológica.

Você recomendaria a algum amigo ou familiar os programas patrocinados pela FUNIBER?

Claro, de fato hoje, a minha cunhada Viviana Granobles está cursando um mestrado em Auditoria e Gestão Empresarial por meio da FUNIBER. Cabe mencionar que eu gostaria de realizar, mais para frente, um doutorado em educação em alguma instituição da rede universitária com a que a FUNIBER colabora e poder acessar novamente seu programa de bolsas.

| ,

Opinião de Esteban Chacalluca, aluno do Mestrado em Educação da FUNIBER

Opinião de Esteban Chacalluca, aluno do Mestrado em Educação patrocinado pela FUNIBER

Opiniões dos alunos

Esteban Chacalluca, aluno da Bolívia bolsista da FUNIBER do Mestrado em Educação, opina sobre sua experiência estudando a distância

Esteban, natural de Ancoraimes, La Paz (Bolívia), é Graduado em Ciências da Educação pela Universidade Adventista da Bolívia (UAB). Também, tem o Mestrado em Educação que a FUNIBER patrocina, com dupla titulação pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO) e pela Universidad Internacional Iberoamericana (UNINI USA).

Atualmente, o aluno da Bolívia é Diretor Distrital de Educação no Departamento de La Paz.

Cursar um Mestrado a distância

Recentemente, Esteban visitou as instalações da FUNIBER em Santa Cruz (Bolívia) para buscar o diploma do Mestrado em Educação.

Durante sua estada, conversamos com o professor para conhecer sua experiência estudando o Mestrado a distância, saber que opina sobre o programa de estudos, como foi o trato com os professores e tutores, como está aplicando os conhecimentos adquiridos em seu dia a dia professional e por que recomendaria cursar algum dos Mestrados, Especializações e Doutorados patrocinados pela FUNIBER, entre outros muitos aspectos.

Quer conhecer as opiniões do estudante boliviano?

Descubra no seguinte vídeo:

Links relacionados:

| , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,